CUENCA

Revisado em 2020 – valores informados podem sofrer alterações
Você sabia que os famosos chapéus Panamá são feitos em Cuenca, no Equador?
EQUADOR (sem edição) 243
Durante a construção do Canal do Panamá os trabalhadores necessitavam de um chapéu que protegesse do sol, fosse leve e fresco, então esses chapéus que eram produzidos no Equador foram exportados para o Panamá. A produção é a partir da palha “toquilla” (Carludovica Palmata), a tecelagem inicial é feita no campo e depois os tecelões levam até as fábricas para a moldagem.
Indico para visita a Fábrica-Museu Homero Ortega que mantém guias gratuitos durante a visitação.
Localização – Gil Ramírez Dávalos, 3-86
CUENCA-001

 CUENCA não é só chapéu Panamá.

Os Cañaris estavam em Cuenca em 8060 a.C., povo culto, praticavam ourivesaria, agricultura, produção têxtil, exímios caçadores e grandes guerreiros. Perto do ano 1480  a invasão inca e a mescla de costumes, tradições, vestimentas e festas religiosas. Cuenca ganha palácios cobertos de ouro, templos e ruas pavimentadas com água encanada. Os espanhóis destruíram tudo isso quando chegaram ao Equador no século XVI com direito a terra e a ter indígenas para trabalhá-la. Nos meados do século XVIII Cuenca é uma cidade próspera devido à produção e venda de baeta e tacuyo (tipo de tecido). A arte e a cultura da época estavam regidas pela igreja católica. Por volta do século XX Cuenca funda universidades, incentiva-se  o turismo, alianças comerciais e produção artesanal (indústria da palha toquilla para os chapéus Panamá) .
Cuenca é a terceira cidade turística mais importante do  Equador e com Cuzco no Peru dividem a honra de serem as cidades mais importantes do Império Inca.

EQUADOR (sem edição) 314 

Nome – Santa Ana de los Cuatro Ríos de Cuenca
Localização – está sobre uma grande planície na Cordilheira dos Andes
População – 32.000 habitantes – 2010 (94% alfabetizados)
Altitude – entre 2.350 a 2.550 metros acima do nível do mar.
Temperatura média – 17º.C
Moeda – dólar americano
Distância Quito x Cuenca – 320km.
Quanto tempo ficar – possui um dos centros históricos mais belo e bem preservado do Equador e muito provavelmente de toda a América Latina. Dois ou três dias são suficientes, mas se puder fique cinco dias, a cidade é tranquila com construções de arquitetura espanhola e francesa e uma boa estrutura para receber turistas.

Como chegar a Cuenca partindo de Quito

Aéreo
QuitoAeroporto Internacional Mariscal Sucre (UIO), na cidade de Tababela, a 25 km do centro histórico de Quito. Para hospedagem há o Quito Airport e hotéis nos arredores: San José de Puembo Quito Airport e a Hostería Rincón de Puembo.
233
Cuenca
Aeroporto Cuenca Mariscal Lamar (CUE), o aeroporto possui 1 terminal e situa-se dentro dos limites da cidade de Cuenca. Serviços: aluguel de carros da Hertz, Avis, Europcar. Dispõem de caixas eletrônicos, bares, lanchonetes, lojas, jornais, balcões de informações, instalações para deficientes, estacionamento, não há hotéis dentro do complexo.

Ônibus para Cuenca
Em Quito são 2 terminais de ônibus:
– Carcelén fica no norte e de lá saem os ônibus que vão para o norte do Equador.
– Quitumbe fica no sul de Quito e de lá partem os ônibus que vão para o sul do país com destinos a: Baños, Guayaquil, Cuenca e Montañita. Algumas empresas têm sala de espera com TV, locais comerciais, alimentação, estacionamento privado. Uso de banheiro é pago.
Para chegar a ambos os terminais saindo do Centro Histórico de Quito ou de bairros centrais (La Mariscal) é possível ir de trolebus, um ônibus rápido, U$0,25.
Como são várias empresas operando o mesmo trajeto não há necessidade de comprar passagem com antecedência. A passagem é calculada pelo valor de horas até o destino, sendo U$1/h. Nos ônibus, mesmo nos “executivos” as poltronas não se inclinam muito, tem ar condicionado, TV em alto volume e banheiro (só para o n.1), divulgam que tem wi-fi, porém não conte com esta opção. A viagem de Quito a Cuenca leva em média 10h.
Geralmente há 1 parada para lanchar, mas ambulantes entram frequentemente no ônibus vendendo frutas, água, refrigerantes e até refeição, tudo custa U$1.
Localização do Terminal Quitumbe: Av. Espanha e Sebastiana de Benalcázar.
EQUADOR (sem edição) 165Diário de Bordo – Tomamos um ônibus de Alausi para Cuenca ao entardecer, seriam 163km. com uma previsão de 3h. de viagem. Durante o trajeto vimos que estávamos em duas mulheres e somente homens no ônibus, quando começou a escurecer percebemos que começaram a beber e ficar alterados, quando o ônibus fez uma parada na localidade de Azougue achamos por bem descer no terminal rodoviário e procurar uma hospedagem, não foi muito fácil, mas conseguimos um hostal que era praticamente uma casa de família e seguimos viagem para Cuenca no dia seguinte. Portanto, evite viajar à noite.

Carro
Cerca de 320 km. separam Quito de Cuenca por estrada. Quem está com carro locado deverá ir no sentido Quito-Loja, esta estrada normalmente está em boas condições.

Centro de Información Turística
Localização – Mariscal Sucre entre Benigno Malo e Luís Cordero, em frente ao parque Calderón.

O QUE VISITAR – CENTRO HISTÓRICO

Cuenca foi declarada a 1º. de dezembro de 1999, Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO e inscrita na lista de Bens Patrimoniais da Humanidade no mesmo ano.
A área conservada é delimitada pelas ruas Simón Bolívar, Estévez de Toral, Mariscal Lamar, Benigno Malo, Gaspar Sangurima, Hermano Miguel, Gran Colombia, Huayna Cápac, Mariscal Sucre, Vega Muñoz e a Bajada  de Todos Santos (Calle Larga).

Corte Superior de Justicia
215

Edifício todo em mármore e ladrilhos trazidos de Sayausi e El Tejar, foi concebido originalmente para ser a sede da Universidade de Cuenca. Os acabamentos foram importados da Europa.

Calle La Condamine

A Calle La Condamine é um ponto chave para quem gosta de observar a arquitetura colonial, são casarões com mais de 150 anos. Nos finais de semana são organizadas exposições culturais.CUENCA1-006

El Vado – La Condamine

Região turística bastante tradicional que alberga Juan Montalvo e Calle de La Cruz, fica na parte alta, um  balcão de observação da parte baixa da cidade que é mais moderna.

Casa de La Lira

A Casa de la Lira foi construída há mais de 100 anos, faz parte do Patrimônio Cultural da Humanidade. A fachada é de tijolos gigantes, cobertos com cerâmica vitrificada. As paredes internas são de adobe e bahareque. Aqui foram registrados eventos relacionados à tradição musical de Cuenca e por esse motivo tem em sua fachada o distintivo da lira.

 

CUENCA1-004

Prohibido Centro Cultural

Museu com características góticas e culturas alternativas. Exposição de trabalhos e objetos que vão desde o inusitado, passando pelo gótico e alguns até chocantes, mas tudo em nome da arte.  Achei um pouco apelativo, não deixa de ser interessante como curiosidade. Valor do ingresso U$1.

Casa de Los Arcos

 

CUENCA1-005Foi adaptada para funcionar como um centro cultural para exposições artísticas, conferências, debates. O mobiliário não é original, foi implantado um novo sistema de som e iluminação para servir também como base de eventos. A entrada principal é pela calle Condamine e Tarqui na parte alta onde está o terraço e na parte baixa funciona uma cafeteria com mesas ao ar livre. Tem muita coisa original para ser observada, pinturas em tromp’oil, além da belíssima vista em seu último andar.

Mercado 10 de Agosto
CUENCA1-003

Local simples, mas com muito conteúdo cultural, caso resolva comer aqui experimente um prato típico: Hornado (carne assada de suíno acompanhada de arroz, batata e salada)
Localização – Calle Larga, centro histórico.

Museo de Arte Moderno

CUENCA-002

Construído em 1876, servia como local de reclusão para enfermos, viciados em álcool, cárcere de jovens e escola, mas sua mais importante função foi como “Casa de la Temperancia”, mantém seu teto alto, corredores largos recobertos de ladrilhos. Restaurado e funciona como museu desde 1.982. As coleções são em sua maioria trabalhos em pintura, serigrafia, gravações, aquarela, xilografia, tinta, escultura, desenho e fotografia. É a sede da Bienal Internacional de Pintura.
Localização – calle Mariscal Sucre, em frente ao parque de San Sebastián
Preço – gratuito
Horário – segunda a sexta das 8h. as 13h. e das 15h. as 18h.30; sábados e domingos das 9h. as 13h.
Localização – calle Sucre 15-27 y Coronel Talbot

La Casa de las Posadas

Em arquitetura colonial aqui se instalaram pessoas ligadas ao comércio. No séc. XVII era um hotel concorridos e virou cortiço antes de ser adquirido pela prefeitura.  Embora muitos aspectos originais tenham sido perdidos durante a restauração hoje funciona como centro cultural, guarda marcas importantes como as paredes feitas de adobe. Os paralelepípedos das ruas, estão em perfeito estado de conservação.
Localização – nas calles Gran Colombia 17-44 y Manuel Heredia

Colegio Benigno Malo

Foi o primeiro colégio misto da cidade, sua construção foi muito discutida pelo elevado custo empregado nas paredes de ladrilhos, um dos maiores edifícios da cidade. Sua função de colégio nunca foi alterada.
Localização – Av. Fray Vicente Solano y Daniel Córdova
CUENCA-001

Colegio Febres Cordero

Inicialmente tinha como finalidade ser uma instituição educativa. Os Hermanos Cristianos de la Salle cederam o local ao município que o transformou em sede do Colegio Febres Cordero.
Localização – Gran Colombia 6-54, entre Borrero y Hermano Miguel.

Casa de las Palomas

Seus corredores ostentam um mural com pintura de Joaquín Rendón. No ano de 1.922 foi construído um segundo piso com materiais importados da Europa. Atualmente está em processo de restauração e funciona como Instituto de Patrimônio Cultural.
Localização – Benigno Malo 6-40 y Jaramillo.

Casa de los Canónigos

Os Conêgos ocuparam este local até 1.960, a construção data do final do século XIX. Foi restaurada pelo Banco Central e Funciona como Archivo Histórico de la Curia de Cuenca.
Localização – Luis Cordero, entre Sucre y Bolívar.

Colegio Febres Cordero 

Inicialmente era uma instituição educativa. Os Hermanos Cristianos de la Salle cederam o local ao município que o transformou em sede do Colegio Febres Cordero
Localização – Gran Colombia 6-54, entre Borrero y Hermano Miguel.

Casa Cordero

A família Cordero tradicional no apoio da cultura na época colonial transformou a casa em um Centro Cultural. Atenção aos detalhes trabalhados em adobe (bahareque).
Localização – calle Luis Cordero 10-64 y Gran Colombia

IGREJAS
Catedral de la Inmaculada Concepcion  (catedral nova)

205
A construção começou em 1885 e se prolongar por quase cem anos combina vários estilos arquitetônicos, predominando o românico e elementos góticos nos três grandes rosetões, nas janelas da fachada, nos torreões, nos vitrais e nos muros. O estilo renascentista está nas três grandes cúpulas cobertas com azulejos de Tchecoslovaquia. Os vitrais predominam nas naves laterais, no centro o grande baldaquino de estilo barroco e colunas salomônicas apresentam características da Basílica de São Pedro no Vaticano e está completamente recoberto com lâminas de ouro.
Endereço – Rua Benigno Malo esquina com a Mariscal Sucre.

EQUADOR (sem edição) 304Iglesia El Sagrário (Catedral Velha) 

Conhecida também como o Sagrado, foi durante a época colonial a “paróquia dos espanhóis”. As pedras trazidas das ruínas da cidade de Tomebamba serviram para seus alicerces e bases dos muros. No seu interior, três naves, um altar central e sete laterais. Presentes o estilo barroco e renascentista.
Endereço – Rua Mariscal Sucre e Luis Cordero (esquina).

Iglesia de las Conceptas

Chamada Convento das Freiras Conceptas pelas religiosas que habitavam o local. Construção de princípios do século XVIII, fachada com a parede composta por nichos que culmina em um campanário. Não existe porta frontal as duas entradas se situam na sua parte lateral com portas talhadas em madeira. No interior apenas uma nave retangular com  artísticos elementos barrocos, assim como o retábulo maior e os altares laterais.
Endereço – Rua Presidente Córdova e Antonio Borrero.

Iglesia El Carmen de la Asunción 

Construída em 1730 é uma das mais antigas da cidade em  arquitetura religiosa colonial de Cuenca. Planta de estilo renascentista, fachada com portada talhada em pedra e esculturas de tipo barroco como as colunas salomônicas que servem de moldura para a porta e as imagens de São Pedro e São Paulo lateralmente. No interior retábulo colonial  neoclássico e púlpito com talha dourada e espelhos. O teto deve ser observado, murais, no fundo o coro ficava coberto com um tecido para proteger a presença das carmelitas que ingressavam para cantar durante os serviços especiais.
Fundada em 1682 a Plazoleta de Carmem  em frente à igreja, com mercado de flores.
Endereço – Rua Mariscal Sucre e Padre Aguirre.
CUENCA1

Iglesia de San Francisco

A ordem dos franciscanos permaneceu em Cuenca até o ano de 1860. Remodelada no século XIX, conserva no interior do templo o grande retábulo do altar maior e o púlpito totalmente em talha dourada e trabalhos esculpidos em tempos da colônia em estilo barroco.
Endereço – Rua Presidente Córdova e Padre Aguirre.

Iglesia de Todos Santos

Construída em 1924 em estilo eclético, com alta torre do campanário, portada com linhas horizontais e elementos de tipo renascentista. No  interior o chão que se encontra dividido em vários níveis para hierarquizar o altar e o presbitério, em frente da entrada principal se encontra a cruz de Todos os Santos.
Endereço – Calle Larga e Vargas Machuca.

Iglesia de San Blás   

144. san blasTemplo do século XVI tem a sua base construída com pedras retiradas de construções incas, fachada de estilo românico recoberta de mármore rosado. No interior estão três naves principais e as duas pequenas estão distribuídas em forma de perfeita cruz latina.
Endereço – Manuel Vega e Simón Bolívar.

Iglesia de Santo Domingo

A atual igreja ostenta em sua cuja fachada duas imponentes torres gêmeas de 37 metros de altura, com222eçou a ser construída desde a segunda década do século XIX. Ao seu término foi dedicada à Nossa Senhora do Rosário, mais conhecida como “Moreninha do Rosário” e cuja efígie pode-se ver ainda hoje no altar maior da Igreja.
Endereço – Rua Gran Colômbia e Padre Aguirre.

Parroquia de San Sebastián

Data do século XIX, no exterior remata uma cúpula alta que se eleva sobre o abside e com uma torre que coroa no lado esquerdo da fachada.
Endereço – Rua Simão Bolívar e Coronel Talbot (esquina).

Iglesia de San Alfonso  

Construída no ano de 1875, combina algumas tendências arquitetônicas, alguns elementos góticos em suas torres afiladas, três portas de madeira talhada em seu frontispício, o  interior quadros a óleo com motivos religiosos,  do século XVIII.
Endereço – Rua Simão Bolívar e Presidente Borrero.

ARTES

Entre as ruas Simón Bolívar, Mariano Cueva, Rua Larga e General Torres se encontram a maioria dos museus da cidade,  o trajeto pode ser feito a pé, alguns museus fecham ao meio dia e reabrem à tarde.

Ateliê Eduardo Vega

CUENCA1-001

Grande ceramista em Cuenca, cerâmicas em verdadeira obra de arte em sue ateliê.
Localização – Camino a Turi, 201 (longe do centro histórico).

Museo de la Casa de la Cultura Equatoriana 

Desde 1945 apresenta atividades culturais, científicas e artísticas equatorianas. A partir de 1971 organiza o “Salón del Pueblo” para exposições artísticas nacionais e internacionais. Em 1989 abre a Pinacoteca ou Sala de Arte Contemporânea.
Localização – Edif. El Carmelo (centro), entre Calle Sucre, Benigno Malo e Padre Aguirre.
Horário – segunda a sexta das 08h. as 13h. e das 15h. as 18h.

Museu do Banco Central do Equador ou Pumapungo

Exposição de fotografias de Cuenca, coleção de instrumentos musicais, arqueologia, arte religiosa do século XIX, etnografia e numismática.
Localização – Calle Larga (Rua Longa) e Huayna Cápac, sul da cidade, rio Tomebamba
Horário – de segunda a  sexta das 09h. as 18h., sábado das 09h. as 13h.
Preço – adultos US$ 3,00, crianças e estudantes US$1,50

Museu de las Conceptas

No Convento da Imaculada Conceição fundado no ano de 1599. Contém coleção de arte sacra: crucifixos antigos, quadros e esculturas com cenas religiosas.
Localização – Calle Hermano Miguel, 33 – US$2,00.

Museo de las Culturas Aborígenes

Mostra a vivência dos aborígenes que povoaram esta região, sua estrutura e identidade social. A coleção alcança mais de 8.000 peças arqueológicas expostas através de um circuito didático e educativo. Oferece mostra bibliográfica da história equatoriana.
Localização – Calle Larga 5-24, entre Hno. Miguel e Mariano Cueva.
Horário – segunda a sexta das 8h.30 as 18h., sábado das 9h. as 13h.

Hospedagem

Hotel El Quijote  (ficamos neste hotel)
225Arquitetura antiga – prédio declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO – decoração colonial, banheiros remodelados, quartos com camas estreitas e colchões razoavelmente confortáveis, TV, o café da manhã servido na mesa não é sistema buffet, oferece wi-fi , mas o acesso é lento.  Ao lado há uma agência de turismo para tour e compra de passagens. Localização central, no casco histórico muito próximo ao Parque Calderón e apenas 3km. do Aeroporto Mariscal. Café da manhã e estacionamento pago a parte.
Localização – Hermano Miguel, 958 y Gran Colômbia,284-3197
Diária
– US$43,00 com impostos p/ 2 pessoas. Café da manhã continental US$3,90

A Casa Naranja
Acesso à Internet, cozinha para hóspedes, café da manhã não incluído, lençóis, estacionamento, espaço para bagagem, transporte de e para o aeroporto gratuito. 
Localização – Mariscal Lamar 10 38 & Padre Aguirre.
Diárias – U$12,00 a US$16,00 p/p

El Cafecito
Barato, mas barulhento.
Localização – Honorato Vásquez y Luis Cordero.
Diárias – US$10,00 a US$15,00 p/p

La Posada Del Angel
Localização – Bolívar 14 – 11 y Estévez de Toral (old town)
Diárias – quarto p/ 2 pessoas  US$45,00 + 22% de impostos – com café da manhã

Gastronomia

No centro histórico há vários restaurantes de comida típica, entre as ruas Gran Colômbia, General Torres, Rua Larga e Juan Montalvo. Nestes lugares é comum a preparação do tradicional “mote pillo” ou “mote sujo”, o prato tradicional equatoriano (o mote é uma espécie de milho maduro cozido, para os cuencanos o mote deve estar presente em todas as refeições). Bebidas como o  “morocho” e a “chicha”  também  são  preparados aqui

Moliendo Café
cafeteria

 Cascaritas – pele de porco, crocante encontrado em  numerosos restaurantes populares, ao longo da Av. Dom Bosco;

Chicharrones – torresmos.

Chumales ou Humitas – (espécie de pamonha) feitos de milho verde moído, temperado com ovo batido, manteiga e eventualmente queijo, é cozido ao vapor, nas mesmas folhas que envolvem a espiga, são o complemento do grande prato central.

Cuyes – porquinhos da índia assados, servidos com batatas douradas;

Llapingachos – pequenos bolinhos

Morcillas –  que se vendem em Sertag, caminho a Gualaceo

Mote pata – um dos mais tradicionais pratos de cuenca, uma densa sopa de milho descascado, acrescido de caldo de carne suína e pedaços desta carne, lingüiça e toucinho. É temperada com semente de sambo (um tipo de abobrinha muito comum).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s