Corumbá/MS-Pantanal (pesca)

Dividi o post em 2 partes com percurso total de 2.892km.
1ª. Pantanal e Corumbá
2ª. Pesca esportiva no Pantanal.IMG_0051rc

PANTANAL

O Pantanal é a maior planície de água doce alagada do mundo, quando inundada no período das chuvas abrange uma área aproximada de 210 mil km² sendo que 140 mil km² em território brasileiro. As chuvas determinam o que fazer e observar da vida pantaneira: o Tuiuiú com altura até 1,60m., ave símbolo do Pantanal, também a Arara Azul e a Colhereiro que podem chegar a 1m. As grandes Emas podem aparecer de forma tranqüila ou em disparada e outras aves podem ser observadas “mergulhando” para caçar, como os Biguás e os Gaviões. Alguns felinos como a onça pintada também podem aparecer timidamente. Na água estão peixes, anfíbios e alguns mamíferos.
Quando ir
Maio a Setembro – período sem chuvas, período bom para quem for percorrer a Estrada Parque Pantanal.
Julho a Novembro – aos poucos as águas começam a baixar e já perto de Novembro acontece o período de reprodução das aves, propício para birdwatching (observação de pássaros).
Janeiro a Março – muito calor e a chuva intensa unem rios, lagos e banhados em uma única planície de água.
Março (final) a Maio – bom para quem quer pescar Pacu.
Agosto a Outubro – bom para pescar Pintado.
Novembro a Março – acontece a piracema, a pesca fica proibida.
Pensando a viagem
É praticamente impossível fazer tudo por conta própria;
Reserve uma hospedagem se for alta temporada;
Contrate guia: passeio de barco, canoagem, pequenas trilhas pela mata, safári fotográfico e um pouco fora do comum são as comitivas que levam o gado por trajetos longos;
Para alguns passeios é necessário carro com tração nas 4 rodas;
Passeios pelo rio necessitam de contratação de piloto com barco/motor;
Considere levar na viagem um cooler com alguma bebida e fruta;
Geralmente as pousadas informam antecipadamente sobre as condições climáticas;
Nos arredores da pousada o visitante pode com sorte visualizar macacos, capivaras e aves;
Estrada Parque Pantanal – são 120km. de aterro alojando mais de 70 pontes que são bastante úteis no período de cheia.
68a-001.jpg
CORUMBÁ
População – 105 mil habitantes.
Estado – Mato Grosso do Sul.
Origem do nome – em tupi guarani significa: lugar distante.IMG_0149q.JPG
Outras denominações – Cidade Branca devido ao solo rico em calcário. Capim do Pantanal por abrigar 60% do Pantanal.
Fundação – 1.778 como Arraial de Nossa Senhora da Conceição de Albuquerque, mas a ocupação da região começou no século XVI com a expectativa de encontrar ouro. Na Guerra da Tríplice Aliança (1861-1870), foi conquistada pelos paraguaios delimitando o avanço das tropas de Solano Lopes, o que transformou a cidade em uma praça de guerra. Após a retomada para defesa foram construídos 5 fortes: Limoeiro, Junqueira (único existente), Conde D’Eu, Duque De Caxias e Major Gama. Faz fronteira com a Bolívia e é o ponto de partida para a turística Estrada Parque Pantanal. A cidade oferece boa estrutura para quem vai visitar o Pantanal, fica às margens do Rio Paraguai de onde partem barcos para passeios e pesca.
O fazer em Corumbá
Casario do Porto Geral de Corumbá* (século XVIII)
Localização – Porto Geral, Rua Manoel Cavassa, ladeiras Cunha e Cruz, José Bonifácio, alguns casarios com arquitetura de características européias estão na Avenida General Rondon, trecho entre as ruas Sete de Setembro e Antônio João, foram construídos com materiais e mão de obra dos moradores. O local apesar do tombamento não mantém uma conservação à altura do que os casarios representam, algumas casas estão restauradas, outras abandonadas, mas vale a pena a visita pela parte histórica.
Não deixe de ver o por do sol no mirador para o Rio Paraguai.

Museu de História do Pantanal / Fundação Barbosa Rodrigues **
Localização – Rua Manoel Cavassa, 275 – Porto Geral
Contatohttp://muhpan.org.br – fone (67)3232.0303
Horário – terça a sábado das 13h. às 17h;30
Peças históricas compõem o acervo sobre a cidade de Corumbá e Pantanal que ficam guardadas em um casarão de 1876, antiga Casa Wanderley.

Estação Natureza Pantanal / Fundação Grupo Boticário *** (2006)
Localização – Ladeira José Bonifácio, 111 – Porto Geral. – Edifício Sleiman (1908) em estilo neoclássico.
Informaçãohttp://fundacaogrupoboticario.org.br, fone (67)3231.9100.
Horário – segunda a sexta das 9h. às 11h.20 e das 14h. às 17h20.Informações sobre formação geológica, hidrografia, ciclo das cheias, fauna e flora da região com 23 painéis distribuídos no andar térreo, mostra também a história dos habitantes. Interativo, atraente para crianças. Não tem estacionamento.
Ingresso – R$3,00 (inteira), R$1,50 (meia), isento menores de 6 e maiores de 60 anos.
Instituto Moinho Cultural **
Localização – Rua Comendador Domingos Sahib, 300 – Porto Geral.image001-013
Fone – (67)3232.9981.
Horário – segunda a sexta das 7h.30 às 17h.30
O instituto atende crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade e risco social oferecendo aulas de balé, música clássica e informática. Para ajudar a manter suas atividades vendem camisetas e bolsas feitas a partir de lona reciclada. Lanchonete com receitas regionais. Aceitam cartões de crédito. Sem estacionamento.
Escadinha da Quinze (1923) **

Localização – cruzamento da Avenida General Rondon com a Rua Quinze de Novembro.
A escada de 126 degraus sobe do Porto Geral à Ladeira José Bonifácio, do alto há uma bela vista do Rio Paraguai e Pantanal, muito perto está a Avenida General Rondon com suas palmeiras imperiais. Acesso fechado por motivo de segurança (assaltos).
IMG_0139d
Casa de Massa Barro *** (fundada em 1982)
Localização – Rua da Cacimba da Saúde, s/n.
Horário – segunda a sexta, das 8h. às 11h. e das 13h. às 17h. Sábado 8h. às 11h.30.image001-011

.Contato – fone (67)3231.0518.
Peças de argila bastante artesanais que reproduzem animais da região: tuiuiús, garças brancas, jacarés, capivaras, araras, tucanos, onça-pintada e imagens de São Francisco de Assis e Nossa Senhora do Pantanal. Não governamental, não tem fins lucrativos foi criada como projeto de inclusão social para ensinar uma profissão às crianças do bairro com matricula escolar comprovada.
Forte Junqueira – 1871 – antigo Forte da Pólvora ***
Localização – parte oriental de Cuiabá, em terreno do 17º.Batalhão de Fronteira.
Atrativo – Construído logo após a Guerra do Paraguai além do visual para o Rio Paraguai tem como atração 12 canhões raiados de 75mm., fabricados entre 1872 e 1884, fabricados pela indústria inglesa Fried Krupp, que nunca foram usados. O forte foi edificado sobre escarpa calcária, paredes ½ m. (algumas informações contam 3m), de espessura feita em pedra calcária. Internamente não tem edificações.
Cristo Rei do Pantanal***
Localização – topo do Morro do Cruzeiro
Atrativo – no trajeto de acesso estão esculturas de Izulina Xavier reproduzindo as 14 estações da Paixão de Cristo, a imagem do Cristo também é uma obra sua. No alto do morro se observa a paisagem urbana e vegetação típica pantaneira, ao entardecer o por do sol é fantástico.
Matriz Nossa Senhora da Candelária** – (1872/1885).
Localização – Praça da República, 2-260 – Centro
O prédio foi tombado em 1992 como Patrimônio Histórico Nacional. As paredes medem entre 60cm. a 2m. de espessura. Na entrada a pia de água benta com mais de 100 anos foi doada pela família Cavassa. O confessionário é de 1874. Próximo ao altar principal, do lado esquerdo, está o túmulo de Dom Vicente Maria Priante, fundador da congregação das “Irmãs de Jesus Adolescentes”, que foi sepultado em 1894. O conjunto de 4 sinos em ferro fundido é da época da fundação. Em madeira há uma réplica do quadro de Victor Meirelles “Primeira Missa no Brasil” e um oratório com a imagem da “Pietá”. A imagem de Nossa Senhora da Candelária, padroeira da cidade, é uma das peças mais antigas.image001-010
Curiosidade O Vigário da Vara, Frei Mariano de Bagnaia julgando-se herói da Guerra do Paraguai por sobreviver às torturas dos paraguaios decidiu levar adiante a construção e acreditou que seria ele o homenageado, como isso não ocorreu e a homenageada foi Nossa Senhora da Candelária, Frei Mariano teria enterrado ali suas sandálias e dito que, enquanto elas não fossem encontradas, a cidade teria um período de estagnação por 100 anos, por coincidência (ou não), houve uma estagnação econômica desde o fim do comércio fluvial.
Ladeira Cunha e Cruz ou Ladeira da Candelária ou Ladeira da Saúde ou Ladeira da Capitania *
image001-009Localização – em frente à Matriz Nossa Senhora da Candelária, na esquina com a Rua Delamare onde está a Capitania dos Portos. O nome homenageia o capitão da tropa brasileira que organizou a retomada de Corumbá durante a Guerra do Paraguai (1864-1870), neste local foi travada a sangrenta batalha de 13 de junho de 1867.
Curiosidade – na noite de 23 para 24 de junho a procissão desce pela ladeira em direção ao rio para banhar a imagem, esta tradição chama-se Arraial do Banho de São João.
Praça da Independência (1917)**
Localização – centro da cidade
Seu estilo de construção só é repetido em duas praças no Brasil e uma na Alemanha. Originalmente era murada em mármore com portões em ferro. O coreto foi importado da Alemanha assim como o mosaico do calçamento da parte externa. As 4 esculturas representando as estações no ano são em mármore de Carrara e foram esculpidas em Pisa (Itália), doadas por um conde italiano que veio caçar no Pantanal.

Santuário Nossa Senhora Auxiliadora (1899)***
Localização –  Rua Dom Aquino, 1037, Praça da Independência.
Foi tombado em 1992 como Patrimônio Histórico Nacional. Possui em seu interior o Cristo na Cruz em tamanho natural, esculpido em madeira pelo artista plástico espanhol Antônio Burgos Villa, amigo de Pablo Picasso, que nasceu em Barcelona, viveu e morreu em Corumbá/1982.
Curiosidade – Relatos contam que por não possuir remetente nem destinatário a imagem ficou encaixotada durante anos em um dos armazéns do Porto Geral e por ocasião da inauguração da igreja a caixa foi aberta e a imagem de Nossa Senhora Auxiliadora foi levada até o Santuário e por coincidência seu tamanho era exatamente o do santuário no altar. Por suas características acredita-se ser de origem italiana.

Casa do Artesão (fundada em 1975)***
Localização – Rua Dom Aquino, 405
Antiga cadeia pública o prédio foi restaurado em 1893. Local onde o artesão pantaneiro expõe seus produtos para venda utilizando pele de peixes, madeira, argila, tecelagem de salsaparrilha, taboa, água-pé, jornais, sementes, pinturas, crochê e farinha de bocaiúva.
A Associação Amor-Peixe (Associação de Mulheres Organizadas Reciclando o Peixe) é composta por mulheres que trabalham com curtume de couro da tilápia. O artesanato em camalote é feito pela indígena da etnia Guató. O artesanato de salsaparrilha é feito por dois irmãos. Gilberto Rolon produz artesanato com jornal e madeira, mas o seu produto mais famoso é a farinha de bocaiúva que ele produz há vinte anos, a polpa seca da bocaiúva é processada em máquina específica que trabalha com 5kg. por vez.
Estrada do Pantanal ***** (final do século 19)
Extensão – 120km.
Pontes – 71 de madeira.
Quando ir – entre abril e setembro, época da seca.
Trajeto – liga a região de Lampião Aceso, em Corumbá até o Buraco das Piranhas na BR-262 (km. 656). A partir da Curva do Leque, são 51km. de terra até chegar na BR-262 e só aqui há hotéis. Previna-se com combustível, não há postos de abastecimento.image001-002
Compras na Bolívia
Apesar de não ter gostado da experiência, vão aqui algumas dicas. As lojas ficam na Avenida Luis Salazar De La Vega, a principal de cidade.
Como chegar – atravessar a fronteira com carro próprio,  táxi à partir do centro  (R$60,00 ida e volta), moto boy, deixar o carro no lado Brasil e  atravessar a fronteira a pé até Puerto Quijarro circular pelo camelódromo e tomar um táxi para os shoppings.
Moeda – dólar, reais ou bolivianos.
Camelódromo – centro de Puerto Quijarro, próximo da avenida principal. Se você não se importar em comprar falsificados este é o local.
68a1-001.jpgShopping Puerto Aguirre – a maioria das lojas está fechada, algumas que resistiram à crise vendem roupa, brinquedo, eletrônico, bebida, perfume, óculos, utilidades domésticas.
Shopping China – rede com lojas no Paraguai e no Uruguai, está ao lado do Shopping Puerto Aguirre, mesmas coisas, com menos variedade.
Miami House – ainda na avenida principal, mais adiante dos shoppings. Tem bons preços em brinquedos, óculos, alçados, bolsas, maquiagem, cosméticos, móveis.
Empório dos Importados – nos mesmo moldes da Miami House.
Supermercado Unión – ótimo para comprar chocolates, bebidas, cerveja Paceña.
Onde comer em Corumbá
Restaurante e Churrascaria Laço de Ouro – $$/$$$
Localização – Rua Frei Mariano, 534. Churrasco sistema rodízio, saladas, pratos quentes e bebidas. Ambiente simples e descontraído.
Alba Restaurante – $$/$$$
Localização – Rua Treze de Junho, 1.363, centro. Comida pantaneira boa, mas com preço um pouco alto. Carta de vinhos.
Restaurante e Churrascaria Rodeio do Pantanal – $$/$$$
Localização – Rua Treze de Junho, 760, centro. A noite o serviço a la carte com pratos bem servidos para compartilhar com amigos, não é barato. Almoço por quilo com saladas e pratos quentes, comida excelente, ambiente agradável e preço justo.
Restaurante do João – $$/$$$
Localização – Rua Cabral, 869. Especialidade – “Pranchão Soleado”, corte do coxão duro fica por uma noite no sereno e é soleada por dois dias pela manhã, acompanha mandioca cozida e paçoca de carne seca.
O restaurante oferece também opções de peixe.
Restaurante Miguéis – $$-$$$
Localização  Rua Frei Mariano, 708 – Centro
Especialidade – Peixe a Urucum: pintado com molho à base de creme de leite e gratinado com queijo. Sobremesa doces de abóbora e batata doce.
Boa comida com preço justo. Atendimento atencioso dos proprietários (Amanda), local climatizado,
Bar do Gelson – $$
Localização – Rua Aquidauana, 128 – Bairro Universitário
Especialidade – só servem porções, eventualmente pode ter jacaré (da Caimasul)
O bar está instalado em um deck às margens do Rio Paraguai, local agradável, cerveja gelada e porções interessantes.
Dolce Café $$/$$$
Localização – Rua Frei Mariano, 572.
Horário – fecha às 23h.
Buffet por pessoa com churrasco ou a La Carte (filé c/ gorgonzola), que sai mais caro.  Ambiente agradável, boa equipe de atendimento. O preço não é interessante. Uma boa pedida é a porção de pintado acompanhada de chopp. Local é um misto de restaurante,cafeteria e padaria.

Colagens-001
Comer barato em Corumbá
Cantina Tia Mary $ (4,6 de 5)
Localização – Rua Delamare, 1.580
Horário – das 10h. às 14h.30
Especialidade: Peixe à Urucum (filé de pintado empanado, frito e depois cozido com presunto, muçarela e molho de urucum), Peixe à Escabeche (filé de pintado frito e depois ensopado em molho de tomate) e Costelinhas de Pacu.
Panela Velha – $ (nota 4,5 de 5)
Localização – Rua 15 de Novembro, 126-286, Centro. Especialidade – comida caseira
Saltenharia do Nandinho – $ (nota 4,5 de 5)
Localização – Rua Dom Aquino, 1370, Centro. Especialidade – saltenhas à moda paraguaia, massa fina e levemente adocicada, crocante, bem recheada. Tem outros salgados. Refrigerante de mate.
Pizzaria Donana
$ (nota 4,4 de 5)
Localização – Rua Major Gama, 549 – Dom Bosco. Pizzas: abobrinha com bacon, abobrinha com parmesão, aliche.
Feira de Domingo$ (nota 4,5 de 5)
Localização – Rua do Ladário. São mais de 180 barracas com quitutes da cultura local: pastel de Corumbá, saltenha,  bolo de arroz, bolinho de bacalhau, sopa paraguaia, caldo de cana. Além do tradicional queijo nicola e o requeijão de corte.
Onde ficar em Corumbá
image001-017Hotel (Candeias) Gold Fish(nota 7,3)
Localização – Av. Rio Branco – Universitário.
Facilidades – café da manhã, piscina, wi-fi, TV, quarto com a/c, banheiro privativo, armário, roupa de cama e banho, restaurante, estacionamento privativo
Distância – 3,6km. do centro.
Diária – R$161,00. (confirmar)
Santa Mônica Palace Hotel (nota 7,5)
Localização – Rua Antônio Maria Coelho, 345, Corumbá-MS – 200m. do centro
Facilidades – café da manhã, piscina ao ar livre, wi-fi, frigobar, TV LCD, banheiro privativo. Estacionamento público. Está a 1km. do Porto Geral, museus Muphan e Boticário, 15km. da fronteira com a Bolívia.
Diária – R$263,00 (confirmar)
Pousada Beija Flor
(nota 7,1)
Localização – Rua Cabral, 1,101
Facilidades – café da manhã, wi fi, TV, a/c, banheiro privativo, frigobar, roupa de cama e banho. Garagem privativa.
Diária – R$180,00 (confirmar)
Hostel Road Riders
Localização
 Rua Firmo de Matos, 01,
Facilidades – café da manhã, bar, wi-fi, banheiro privativo, a/c, para estacionamento privativo necessita reserva, aluguel de bicicleta e carro.
Diária – R$108,00 para quarto casal privativo (confirmar)
Casa Branca – Cama & Café (nota 9,7)
Localização – Rua XV de Novembro Centro, 681, Corumbá.
Facilidades – wi-fi, café da manhã, banheiro privativo, cozinha compartilhada, a/c, TV, roupa de cama e banho.
Diária – R$160,00 (confirmar)
Suite no centro da cidade (nota 9,1)
Localização – Rua Colombo, 970 – centro
Facilidades – wi-fi, sem café da manhã, banheiro privativo, cozinha compartilhada, micro ondas, a/c, TV, área de estar, roupa de cama e banho (custo adicional). Não tem estacionamento.
Diária – R$100,00 (confirmar)

 

2ª. parte – DIÁRIO DE BORDOpesca esportiva

IMG_00052aa.JPGAlgumas distâncias
BR-262 / Valinhos x Água Clara = 743km.
BR-262 / Valinhos x Ribas do Pardo = 858km.
BR-262 / Valinhos x Campo Grande = 958km.
BR-262 / Campo Grande x Hotel Pesqueiro Jund Pesca = 363km.
BR-262 / Pesqueiro Jud Pesca x Corumbá = 67km.

PORTO MORRINHO/MS
Porto Morrinho é o local de deslocamento para quem vai a turismo ou pesca, ão é necessário ir até Corumbá.
Localização – onde o rio Paraguai cruza com a rodovia BR-262. A pequena localidade foi se formando para atender as pessoas que chegavam para tomar as balsas e atravessar o rio. Atualmente a travessia é feita pela ponte, o que encurta a viagem, mas diminui a relaxante visualização da paisagem pantaneira. A maioria dos hotéis mantém uma estrutura para atender pescadores. image001-025
Como chegar a Porto Morrinho/MS
Carro – pela BR-262, km.702.
Avião – a TAM tem vôos diários até Corumbá e do aeroporto até Porto Morrinho são 70km. de rodovia asfaltada.
Ônibus – pela Andorinha são vários horários de Campo Grande até Corumbá e daqui até Porto Morrinho são mais 6h. de ônibus.

Onde ficar em Porto Morrinho/MS
Pousada Jund Pesca
Informaçõeshttp://www.jundpesca.com.br – Rua Barão do Triunfo, 315 – Bela Vista, Jundiaí/SP – fone(11)4586.2620
Quartos com banheiro privativo, água quente, janelas teladas, refeitório, geladeira, não tem área de lazer, Barcos com motor e piloto, refeições (café da manhã, lanche de barco e jantar), permite que leve bebida, mas não pode ser consumida no restaurante, apenas quarto e barco.

Pantanal Park Hotel
Informaçõeshttp://www.pantanalpark.com.br – fone: (67) 3275-1500 – Reservas (18) 3908-5332
Hotel Pesqueiro Odila
Como chegar – Rodovia BR-262, Km.699, 6km. após a ponte, às margens do Rio Paraguai.
Informaçõeshttp://www.hotelpesqueirodaodila.com.br, hotelpesqueiroodila@terra.com.br. Fone do hotel MS (67)3275.1368 / 8175.9559. Fone da Central MG (31)3221.4648 de segunda a sexta das 9h. às 18h. Área de lazer com piscina, churrasqueira telefone, internet. Apartamentos com a/c, geladeira, TV. Barcos com motores e piloteiros. Restaurante com comida mineira e pantaneira.
04/03 domingo
Saímos de Valinhos/SP às 6h.15 e chegamos a Porto Morrinho às 6h.30, do dia seguinte. Foram 13h. de viagem considerando o fuso horário com menos 1h., em 2 dias.
Atravessamos a ponte sobre o Rio Tietê (Pederneiras x Jaú).
Tomamos a saída 235A em Bauru/SP, Marechal Rondon (SP300), sentido Araçatuba x Lins e a próxima passagem foi sobre a ponte no Rio Paraná – Usina Jupiá – Usina Hidrelétrica Engenheiro Sousa Dias – divisa SP/MS. Depois da ponte termina a pista de duplo rolamento, a BR 262 está com asfalto sem manutenção, acostamento sem condições de utilização e o trânsito de caminhões é intenso por conta do transporte de eucalipto.
Em Água Clara-MS o Restaurante Talismã é uma ótima opção de parada para um lanche ou almoço no sistema self service.
Chegamos a Campo Grande e fomos para o Turis Hotel, há vários hotéis nas imediações (Colonial Hotel, a Churrascaria Galpão Gaúcho fecha aos domingos no jantar ), o Shopping é muito perto, mas como o atendente do hotel nos informou não ser seguro sair a pé tomamos um táxi. O shopping não é grande, a área de alimentação é razoável e comemos no Detroit Steack House optamos por um combo: baby beef um tanto quanto duro, acompanhado de uma fraca salada Caesar, pão e legumes, mas o chopp estava gelado (R$83,38). Tomamos táxi para voltar ao hotel.
 05/03 – segunda-feira
Saímos do Turis Hotel às 7h., seguindo pela BR-262, alguns kms. e logo avistamos a imponente Serra da Bodoquena.
Paramos no Posto Pioneiro para um café e água.
Para esta pescaria tivemos muitas, muitas informações desencontradas, vamos aos poucos…………..
Por indicação do pessoal da Pousada, paramos na localidade de Miranda para comprar minhocas ao exorbitante preço de R$50,00 a dúzia, pq segundo eles sem essa raridade não seria possível pescar, também indicaram comprar “laranjinhas” (pequenas laranjas rústicas), que eles vendem congeladas por R$15,00 a dúzia. Para adquirir esses produtos nos indicaram o Zero Grau, acontece que é um restaurante e tivemos que “descobrir” o local que fica em uma ruela sem calçamento ao lado direito do Zero Grau. A Pousada fica às margens da rodovia BR-262, Km706, Porto Morrinho, há um pedágio de R$9,90 um pouco antes do acesso.IMG_0194
Sobre a Pousada
Diz o site:  18 apartamentos equipados com ar-condicionado, frigobar, TV, roupa de cama e banho. Todos os apartamentos com banheiro privativo.
CONFERE – além disso tem internet.
Diz o site: Nosso café da manhã é farto e diversificado com café, leite, suco, frios, frutas, pão caseiro, bolos, tortas, etc.
CONFERE PARCIALMENTE – tivemos pão caseiro um único dia e em nenhum dia foi servido bolos e tortas. Tivemos mamão, melancia, banana e no último dia só melão. Entendemos que pela distância não é possível pão fresco todos os dias, mas passar aquele pão murcho em uma chapa e servi-lo quente seria bem mais palatável, sugerimos e no último dia veio razoável.
Diz o site: Nossas refeições são servidas em sistema self service com pratos quentes, saladas e sobremesa variando dia a dia, para a pescaria os turistas levam um lanche e frutas.
CONFERE PARCIALMENTE – tivemos arroz, feijão, salada de repolho com tomate todos os dias,  carne de gado e um dia frango com polenta, foi alternado abobrinha, mandioca e novamente abobrinha, não havia sobremesa em nenhum dia, uma única vez foi servido um copinho  com gelatina porque solicitamos.
Diz o site: Nossos barcos são de 6 metros em duralumínio para duplas ou trios, equipados com piloteiro (guia de pesca), motor de popa 25 ou 40 HP, cadeira giratória, colete salva-vidas, os peixes são limpos e conservados em freezer.
CONFERE – nosso barco era de 40 HP, não fizemos uso do freezer porque somos praticantes de pesca esportiva, levamos nossos próprios coletes.
IMG_0053a
06/03 – terça-feira
Primeiro dia de  pesca, das 6h. às 16h.
Café da manhã às 5h.30 composto de café, leite, suco de laranja, margarina, queijo, apresuntado, melancia, melão, banana, mamão e pão amanhecido.
Saímos pelo Rio Paraguai com destino ao Rio Miranda, antes o piloto afirmou que as minhocas e laranjinhas que tínhamos levado eram insuficientes e precisava pegar mais 2 dúzias de laranjinhas, 2 de caramujos e 1 dúzia de tuvira  em do outro lado do Rio Miranda. IMG_0118
Feita a compra seguimos para a pescaria, foram percorridos vários pontos de pesca, sempre com uma explicação de que ontem havia muitos peixes ali ou então que na semana passada os turistas se fartaram com os peixes. O rio não estava muito cheio, mas quase não apresentava margem e para ir ao “banheiro” foi uma novela. Na primeira descida do barco apesar de calça comprida, camisa de manga longa, bandana cobrindo as orelhas, luva e repelente a quantidade de mosquitos que havia era uma coisa assustadora, verdadeiros canibais.
Nosso lanche: pão com bife, banana e laranja isso fornecido pela Pousada, como a bebida é cobrada à parte (levamos a nossa bebida).
Como gosto de fotografar fiquei aguardando algum animal ou pássaro, mas só consegui um bem te vi, nem mesmo o tuiuiú, ave símbolo do Pantanal surgiu para uma foto. A vegetação estava bastante verde com poucas flores e predominância de cachalote.IMG_0195
Em 10h. de pesca conseguimos: Pacu (2),Mandi (1) e  Armau (4), que é um peixe hostilizado por não ser saboroso. Infelizmente precisamos sacrificar um Pacu, e foi o único peixe que comemos na pousada, o rio carece tanto de peixe que nem na pousada foi servido.
IMG_0051i.JPG
Voltamos decepcionados esperando por um dia melhor.
07/03 – quarta-feira
Novamente saímos da Pousada ás 6h., subimos 2h.  o Rio Paraguai e nada de peixe, demos uma parada em uma  das margens para ocupar o “banheiro” e novamente um stress pela quantidade de mosquitos que avançam enlouquecidamente apesar do repelente Exposis, e não adianta, eles picam por cima  da roupa também. O piloto resolveu ir até o Rio Mutum que segundo ele é um dos mais limpos e muito piscoso, conseguimos 1 piranha. Comemos nosso lanche de pão com bife. Novamente rio acima e rio abaixo e nada, então por volta das 16h., abortamos a pescaria e voltamos para a Pousada, 10h. dentro de um barco e apenas 1 piranha.
IMG_0051qb
O interessante observar que antes de ir até a Pousada perguntamos:
1- o rio está em altura desejável? Sim!
2- tem muito mosquito? Não, apenas alguns ao anoitecer (tinha mosquito o dia todo).
3- visualização de animais e aves? Sim, tem muita coisa circulando (alguns pássaros tão mansos que podem ser vistos no quintal, as araras vem comer na mão).
4- quais os peixes desta época? Todos do Pantanal: dourado, pacu, piraputanga, armal focinho de porco, piapara, cachara e algumas lagoas com tucunaré.
5- os pontos de pesca são longe? Esta é uma boa época para pesca? Os pontos são perto e a época é boa.
6- iscas, tem? Tem tudo, mas se possível tragam minhocas
Conclusão
1- o rio estava em altura desejável e muito limpo.
2- havia mosquito o dia todo e em todos os lugares, exceto nos quartos e refeitório telados.
3- não vimos um animal, mas segundo o piloto “estávamos em época errada”, na “época certa” os jacarés chegam a formar pilhas uns sobre os outros. No Pantanal a fauna muito fraca me levou a sentir falta do quintal de casa onde temos: canário, beija flor, jacu, sanhaço, pica pau, bem te vi, sabiá, bando de maritacas e até mico. Sobre o nascer e por do sol ninguém falou nada, mas foi uma das coisas que me encantou.
4- no Rio Paraguai definitivamente não tem peixe! É necessário navegar mais de 1h. para chegar aos locais e sempre o piloto dizia que “estávamos em época errada,  na semana passada turistas estavam pegando 15 pacus por dia, a isca nunca estava adequada ou a laranjinha estava mole ou estava sem cheiro, venham na época do piau que sai muito peixe”, e vai combustível para baixo e para cima do rio.
5-com o Rio Paraguai sem peixe as opções são o Rio Miranda (1h.30 de navegação), Rio Mutum (2h. de navegação), Rio Abobral (2h.30 de navegação), neste nem fomos porque a informação era que só tinha Armau ou Abotoado. As lagoas que deveriam ter Tucunaré estavam entupidas com plantas cachalote e não havia acesso, segundo o piloto seriam necessários 3 barcos para tentar forçar o acesso.
6-Levamos em dúzias 1 de laranjinha + 1 de minhoca, foram adquiridas lá 3 de laranjinha, 2 de caramujo, 1 de tuvira (nem foram utilizadas). Total de 96 iscas para 2 pacus, 4 armaus, 1 mandi, 1 piranha.
08/03 – quinta-feira
Abortamos o 3º. dia de pesca e fomos passear em Corumbá.
Antes passamos pela Caimasul, às margens da BR-262, a 30 km de Corumbá (MS), o abatedouro de jacarés tem autorização governamental do Ibama, empreendimento construído com recursos próprios foi uma grande e positiva surpresa no Pantanal. O receptivo é feito por veterinários especializados e competentes, não deixem de visitar.

 Sobre Corumbá, a postagem com os principais pontos turísticos está no início do post.

09/03 – sexta-feira
Voltando Corumbá x Andradina
10/03 – sábado
Andradina x Valinhos

INVESTIMENTO

Alimentação c/ bebidas ……….. R$  425,18
Hospedagem ……………………. R$  264,00
Combustível …………………….. R$   758,40
Pedágio ………………………….. R$   196,40
Transporte Cuiabá/Bolívia …….. R$   104,50
sub total ………………………….R$1.748,48
INVESTIMENTO (pesca)
Hospedagem …………………… R$2.340,00
Combustível do barco ………… R$   420,00
Iscas ……………………………… R$   217,00
       TOTAL GERAL ………………..  R$4.725,48

Hospedagem inclui: café da manhã, lanche de barco, jantar.
Não inclui bebidas, levamos nossa bebida e consumimos a bebida da Pousada durante as refeições.
A hospedagem incluía 3 dias de navegação, fizemos apenas 2, mas pagamos integralmente.

 

 

 

 

 

 

Opções de hospedagem no trajeto
Para quem vai de carro fica cansativo fazer todo o trajeto em um só dia, as possibilidades de pernoite no Mato Grosso são as cidades de Água Clara, Ribas do Rio Pardo e Campo Grande.  
ÁGUA CLARA/MS
A cidade se desenvolveu com a construção de Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, os moradores eram os construtores da ferrovia, depois chegaram os comerciantes e mais tarde a indústria de fornecimento de madeira que atualmente são em número de 30 que trabalham com reflorestamento. Está instalada em Água Clara a Indústria Imbaúba Laticínios que processa 100.000 litros leite/dia. Alem da Multinacional Cobb-Vantress e a Granja Alvorada.
Acesso – BR-262
População 14.879 habitantes.
Turismo – cachoeira branca e cachoeira preta
Onde dormir em Água Clara
Hotel Ipê (bom)
Localização –  Rua Maria Abadia da Silva, 111 – Jardim 14 Biz, Água Clara – MS. fone (67)3239.2600
Não informa preço nem disponibilidade.
Millenium Plaza Hotel (bom)
Localização –  Av Julio Maia, 1036, Água Clara, MS. Fone: (67) 3239-3600
Não informa preço nem disponibilidade.
Hotel Tupete (ruim)
Localização – Avenida Júlio Maia, 1.162, Carmo, Água Clara, MS.
Onde comer em Água Clara
Restaurante Talismã
Localização – Rodovia BR-262, Km 140, S/n – Siderurgica
Horário – aberto 24h.
Facilidades –  self service com churrasco, lanches, bebidas, sobremesa. Ambiente climatizado, wi-fi, bom banheiro, atendimento excelente, ampla área com produtos para compra.
Restaurante Tropeiro
Localização – Avenida Julio Maia, 1990, próximo ao mercado e lotérica, centro.
Buffet a kg., comida simples, caseira, bem feita.
Choperia Boulevard 44
Localização  – Av Luiz Fiuza Lima, 44.
Bar temático (rock) com petiscos e cervejas artesanais. Barulhento em dias de apresentação.

RIBAS DO RIO PARDO/MS
O município de Ribas do Rio Pardo está no Leste de Mato Grosso do Sul, a 102 km da capital Campo Grande, as margens da  BR-262. População aproximada de 21 mil habitantes. Poucos recursos.
Turismo – Bóia cross no Rio Mantena
Onde ficar em Ribas do Rio Pardo
Maqueza Park Hotel (bom)
Localização – Av. Áureliano Moura Brandão, 1388 – Jardim Vista Alegre, Ribas do Rio Pardo – fone (67)3238.1263
Hotel Thalis (regular)
Diária – R$107,00 (confirmar)
Hotel Modelo (regular)
Localização Rua Aniceta Rodrigues de Souza 1240 | Jd Vista Alegre.
Hotel São Francisco (ruim)
Localização  – Av. Nelsom Lírio, 1677 – Centro, fone (67)3238.1291
CAMPO GRANDE
Onde dormir em Campo Grande
Hotel Paris (bom)
Localização –  Av Costa E Silva, 4175, 5km. do centro a 2 quadras da rotatória da BR-262 com 163.
Turis Hotel
Localização –  Rua Alan Kardek, 200 – 850mt. do centro, estacionamento privativo c/ pré reserva.
Contato – (67)3320.6700
Diária – R$123,00 (confirmar)
Jandaia Hotel  (bom)
Localização – Rua Barão do Rio Branco, 1.271 – 1,2km. do centro
Diária – R$194,00 (confirmar).

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s