Lençóis Maranhenses/MA

PARQUE NACIONAL DOS LENÇÓIS MARANHENSES

Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses no Maranhão criado em junho de 1981, abrange os municípios de Humberto de Campos, Primeira Cruz, Santo Amaro e Barreirinhas, sendo que aqui é considerada a porta de entrada para o Parque que se acomoda às margens do Rio Preguiças. São 1550 km² (tamanho da cidade de São Paulo), com dunas de até 40m. de altura, lagoas de água doce, com águas passando pelos vários tons de azul e verde. As lagoas são formadas pelas águas pluviais, portanto a melhor época é depois das chuvas, quando as lagoas estão cheias. As mais conhecidas são a Lagoa Azul e Lagoa Bonita, ambas com condições de banho, são cerca de 5.000 piscinas naturais em todo o parque.

Barreirinhas está 270km. de São Luís, às margens do Rio Preguiças. Sua população estimada em 2010 era de 54.930 habitantes, a temperatura média anual é de 26°C. A cidade é pequena, não oferece muitos recursos, os melhores restaurantes estão na Av. Beira Rio, um calçadão sem trânsito de veículos onde está a área de alimentação, alguns restaurantes oferecem música ao vivo na entrada. Também são encontrados alguns artesãos e venda de sorvetes artesanais. A internet funciona de modo precário, assim como o telefone. Nos bancos nem sempre o sistema vai funcionar e são poucos os estabelecimento que aceitam cartão de crédito.
Para entrar no Parque a partir de Barreirinhas, é preciso utilizar veículos com tração 4×4, melhor período vai de maio a setembro, mas a unidade está aberta a visitação o ano inteiro, de segunda a segunda, das 08h. às 18h.

CUIDADOS
Não há banheiros públicos, nem venda de alimentos e bebidas no interior do Parque;
Cada passeio dura em média de 4h., portanto, leve água mineral e lanche;
O uso de filtro solar é indispensável, a região dos Lençóis Maranhenses fica a 02º da linha do equador e por isso apresenta alta incidência de raios solares durante todo o ano.
Não é permitida a utilização de bronzeadores, óleos corporais e produtos de higiene nas lagoas e rios do Parque Nacional;
Além do filtro solar use chapéu, calçado confortável, roupas leves, pequena toalha de banho, água, óculos de sol. Não é permitido levar bebida alcoólica.
Todos os veículos credenciados são obrigados a fornecer caixa térmica com gelo; 

Os serviços de transporte de visitantes devem ser realizados por veículos adesivados com a logomarca do Parque Nacional, os condutores e guias devem estar com crachá de identificação.

 DIÁRIO DE BORDO

Para esta viagem estávamos os em 3 pessoas, portanto, os valores informados serão para este número de pessoas.

(quinta-feira)
Saímos de Campinas/SP em voo TAM às 19h.23 com conexão no Rio de Janeiro. Do Rio de Janeiro, ainda pela TAM saímos às 23h.09, chegando a São Luis às 02h.33, conforme já havia combinado com o Bruno da Pousada São José, haveria uma pessoa nos esperando no aeroporto, esperamos por mais de 1 hora e ninguém apareceu, tentamos falar com o Bruno mas depois soubemos que o telefone em Barreirinhas estava inativo. Tentamos contatar no aeroporto algum transfer, mas todos já tinham saído e com lotação completa. Após negociação que começou com R$400,00 conseguimos um táxi por R$350,00.
A viagem de táxi foi uma aventura, o velocímetro chegou a atingir 160km/h., a Paula e Carla conseguiram dar um cochilo, mas fiquei o tempo todo olhando o taxímetro, meio apavorada porque a rodovia é de pista simples.
Chegamos a Pousada por volta de 9h. da manhã, como o check-in seria 11h. deixamos a bagagem em um quarto provisório e trocamos de roupa porque fazia muito calor. Conversei com o Bruno explicando o que havia acontecido com o táxi e pedi um café da manhã que como não estava incluso na diária iríamos pagar à parte, se nãoimg_5576 me engano ficou cerca de R$12,00 cada: 3 tipos de frutas, bolacha doce e salgada, torrada, presunto, queijo, 3 tipos de geleia, leite, café, suco e tapioca. O quarto (nº.2), que ocupamos posteriormente estava bem limpo, era uma cama de casal e 1 de solteiro, armário, spliter, TV, frigobar, banheiro (pequeno) privativo com água quente.  A noite oferecem opções de bebidas e lanches.

POUSADA SÃO JOSÉ
http://www.saojospousada.com.brcontato@saojosepousada.com,br
Av. Carnaubal, nº.369 – Bairro Carnaubal – Barreirinhas – MA.
Proprietários: Bruno Valentim e Roseli Farias.
Fones (98)3349.1398 / 9157.9445

1.      PASSEIO – RIO PREGUIÇAS
Depois do café da manhã chegou  o transfer que nos levaria até o cais para o primeiro passeio pelo Rio Preguiças, como não sabíamos nosso horário de chegada não quis arriscar um passeio coletivo e já deixei reservada uma lancha particular com piloto. A lancha era bem confortável com coletes salva vidas novos.
São Paulo Ecoturismo= R$350,00 (lancha)

O nome “preguiças” tem sua origem pelo  fato de terem vivido ali algumas preguiças e também por suas águas mansas e tranquilas. O rio nasce no povoado Barra da Campineira, no município de Anapurus e percorre mais de 120 km até desaguar no Oceano Atlântico em frente ao povoado de Atins.

 A 1ª. parada foi em Vassouras, ali está instalada uma lanchonete de apoio, com bebidas e algumas guloseimas. Do lado direito o mangue abriga alguns macacos que aparecem para comer alimentos que os turistas oferecem.

Do lado esquerdo da lanchonete já se pode caminhar sobre uma duna, neste local a areia não é tão branca como nos grandes lençóis, a parada é de 40’, para quem não vai comer nada no local dá tempo para subir ao alto da duna.
img_5439

A 2ª. parada é na vila de Mandacaru onde está o Farol que é a atração, são 160… degraus até o alto onde se tem uma visão de 360º, com vistas para enxergar o img_5459rio Preguiças desaguando no mar, venta muito e dá para sentir a oscilação do Farol. Esta parada leva aproximadamente 40’, o povoado tem lojinhas de artesanato, sorveteria com sorvetes de frutas típicas e uma batida de caju dita como a mais tradicional do local.
Uma barraca mostra várias garrafas de cachaça com raízes e até caranguejos dentro, ali também eles limpam e fritam peixes para os turistas. Algumas crianças se oferecem como guias e declamam poesias de Gonçalves Dias.

uso do banheiro = R$1,00.img_5461

O Farol das Preguiças (conhecido como Farol de Mandacaru) possui 32m. de altura, foi construído em 1940, inaugurado em 1941 pelo então vice Almirante Morais Rego.
A 3ª. parada é em Caburé. Os barcos param em um cais no rio Preguiças, neste local estão alguns restaurantes, nosso piloto disse que ali sempre estava muito cheio de turistas, mas se caminhássemos alguns metros atravessando uma duna estaríamos na praia (mar), e poderíamos almoçar com mais tranquilidade. Resolvemos seguir a sugestão e fomos até um restaurante bastante rústico, encomendamos um peixe, como eram 12h. dissemos que estaríamos ali às 13h. para comer. A Carla deitou em uma rede para dormir e eu fui até a praia com a Paula, como ventava muito não entrei na água que estava fria e fui fazer umas fotos. As 13h. fomos almoçar.

CABANA DO PEIXE
peixe ensopado com camarão, batata,
cenoura, pirão e arroz + 1 cerveja +
1 batida limão + 3 águas = R$150,00. 

O prato era farto, mas bastante simples, não achei que valeu o valor de R$50,00 por pessoa, portanto, cuidado com as informações dos pilotos.

Na volta as lanchas não param, mas agora passado o entusiasmo da novidade é que se pode observar melhor a vegetação rica em mangues e buritis. Um passeio recomendável.

2.      PARQUE DAS VAQUEJADAS
À noite fomos conhecer o Parque das Vaquejadas, uma festa popular que ocorre no mês de Julho com vaquejadas, apresentações de danças folclóricas, muitas barracas de comida. Como ficava longe tomamos um táxi na Praça do Trabalhador, tentamos negociar, mas o preço era fixo:

táxi Praça dos Trabalhadores x Parque Vaquejadas= R$12,00

Como chegamos por volta das 19h. era muito cedo e não tinha muita gente, demos uma volta para conhecer as barracas e paramos com mais tempo na barraca da Casa da Farinha que mostrava todo o processo de fabricação da farinha da mandioca até chegar na tapioca. Paramos em uma tenda para comer.
Parque Vaquejada – jantar
carne de sol, mandioca e abacaxi,

Como o Parque fica distante da cidade, cerca de ½h. de caminhada resolvemos não arriscar e tomamos um táxi.
Táxi Parque Vaquejadas x Pousada São José = R$15,00.
 (sexta-feira)
  3.      BÓIA CROSS RIO FORMIGA.

Após o café da manhã, às 8h.30 o jipe 4×4 passou para nos levar ao bóia cross no rio Formiga que fica na localidade de Cardosa, cerca de 1h. de viagem em estrada de terra, mas em bom estado de conservação.

As sacolas e mochilas ficam dentro do jipe e são devolvidas no final do passeio, que é feito em câmaras de ar inflável, o rio é limpo, correnteza suave, raso. No trajeto há uma parada de apoio com venda de refrigerante, água e cerveja, o consumo é pago no final do trajeto.

No final do passeio há uma lanchonete rústica com venda de bebidas, café e tapioca e então é pago para o guia o valor das bebidas consumidas na parada intermediaria.
A descida é acompanhada por um(a) guia que vai orientando as bóias caso elas encostem nas margens.
Óculos de mergulho não são necessário, mas pode ser utilizado com sucesso.
Voltamos a Barreirinhas e fomos almoçar no self-service do Restaurante Marina Tropical, o cardápio não muda muito no dia a dia, mas a comida é boa e barata. Bom custo benefício.                     

           Restaurante 
MARINA TROPICAL
          Av. Beira Rio, N. 1 Centro, Barreirinhas

 

4.      PASSEIO LAGOA BONITA

Para o período da tarde já estávamos com outro passeio agendado para as 14h. , Lagoa Bonita. O jipe para em um mercadinho para compra de água e bolacha, no veículo há uma caixa de isopor que mantém as bebidas frias.

O trajeto é feito em jipe 4×4 até a margem do Rio Preguiça, todos descem, o jipe sobe na balsa, depois os passageiros sobem e após uma rápida travessia subimos novamente no jipe que tem a carroceria adaptada com 3 bancos que acomodam até 4 pessoas em cada um. Aconselhável sentar no primeiro banco, o último é o que mais sacode. A estrada, se assim pode ser chamada, não passa de uma trilha em meio a muita areia, fazer este trajeto de 1h. ½ h. é uma aventura, o veículo joga, patina e dança o tempo inteiro no areal alto e fofo. Nossa parada é em frente à duna, não há banheiro, apenas tendas que vendem artesanato e alguma bebida. Os calçados são deixados no jipe, assim como o material mais pesado que esteja na mochila. movimentação dos ventos, muitas vezes elas vão estar mais baixas. Acredito que um stik possa ajudar! A visão ao chegar ao alto é magnífica, as dunas brancas se sobrepõem e são pontuadas pelas lagoas cor de esmeralda transparente. Passamos pela lagoa do Descanso, Bonita e do Clone (aonde foi filmada a novela). Dependendo do período do ano, entre julho e agosto, após as chuvas sempre o número de lagoas menores são maiores, no período da seca fica apenas a lagoa do Peixe que é perene. Estando no meio das dunas confirmamos a necessidade de um guia, uma pessoa que se afastar sozinha pode não conseguir voltar, há apenas uma bandeira como ponto de referência, mas dependendo do local ela pode não ser visualizada. Após o banho em todas as três lagoas, seguimos para o alto das dunas observar o por do sol.
img_5521Começa a subida, íngreme e difícil, há uma corda que serve como apoio para ajudar, a areia é fofa e os pés afundam dificultando a subida, a cada passo para frente os pés escorregavam para trás, segundo o guia nem sempre as dunas estão com esta dificuldade.

 

img_5552

img_5562A descida é tranquila e a chegada em Barreinhas foi às 19h.

A Paula não quis sair para jantar, saí com a Carla e fomos comer no restaurante:

A CANOAimg_5570

Av. Beira Rio, s/nº.
 
suco de frutas(3,50), caipiroco(12,00) + ½ caeser salad (14,75), camarão na canoa (69,50), camarão ao creme dentro de 1/2 abacaxi, na outra metade arroz coberto com creme de abaxaxi coberto com queijo e gratinado + taxa serviço(9,98) = R$109,73 = r$54,86 p/p. 

(sábado)
5.      LAGOA AZUL
Para este dia escolhemos o passeio na Lagoa Azul, como iríamos para São Luis deixamos para este dia um passeio com retorno mais rápido.  Saímos da Pousada às 9h.30 com o sol já bastante quente, foi feito o mesmo esquema do dia anterior, ou seja, compra de lanche, travessia em balsa, trilha de areia, por sorte o percurso depois da balsa era de ½ h. porque a dificuldade do jipe 4×4 atravessar o areal foi maior do que no dia anterior. A duna de acesso a Lagoa Azul foi bem mais suave, no entanto, o percurso entre as lagoas a serem visitadas é de areia fofa. Passamos pelas lagoas da Preguiça, Esmeralda, Azul e da Paz. Em todas elas dá para tomar um bom banho, á água é fria e venta um pouco.img_5578
img_5585
DDescemos em frente a Agência São Paulo para efetuar o pagamento do passeio. Antes de embarcarmos para o passeio deste dia, já tínhamos passado por lá para questionando o fato de que nosso transfer não estava no aeroporto conforme o combinado e acabamos discutindo com duas funcionárias e uma delas insistiu que ficou até 4 da manhã no aeroporto em São Luis, no entanto ficamos neste mesmo horário no saguão do aeroporto e não havia ninguém, razão pelo qual tomamos um táxi. Para que não atrasasse a saída do tour a supervisora pediu para que retornássemos após o passeio.

Entramos em um acordo e ela nos deu um desconto de R$105,00 nos pacotes, sendo que o táxi que pagamos R$350,00 acabou ficando por R$245,00, ainda acima do valor estipulado pela van que era de R$120,00, mas concordamos para não criar polêmica e atrapalhar as férias.
Saímos das dunas às 12h.30, fomos para a pousada e precisamos ficar aguardando a van que nos levaria para São Luis até as 16h.30, aproveitamos para tomar café, banho e descansar nas cadeiras, uma vez que nosso check out já estava pronto.
O micro ônibus ainda passou em algumas pousadas para apanhar mais turistas. A viagem foi tranquila, mas não deu para descansar, algumas pessoas conversaram o tempo todo em voz alta, cada uma queria falar mais alto para contar o passeio que na verdade todos ali fizeram. Na metade do caminho a van parou para um lanche. Um self service com preço fixo de R$12,00 com caldos, café, leite, suco, bolachas e pães. Achamos que não valia o custo benefício, até porque não estávamos com fome, pedi um misto quente e refrigerante, a Paula e Carla optaram por um biscoito de polvilho (ruim) e suco.

SÃO LUIS/MA

Retomada a viagem a primeira parada em São Luis foi no aeroporto para deixar a Paula que iria para Belém, o motorista fez ainda duas paradas para deixar passageiros e seguiu para o Centro Histórico, o local tem uma iluminação fraca e é ermo, como o micro não podia entrar no Centro Histórico fomos com nossa bagagem ladeira abaixo caminhando três quadras aproximadamente até a Rua do Giz. Quando estávamos fazendo nossa ficha de ingresso na Pousada Portas da Amazônia, chegaram as senhoras que conversaram a vigem toda reclamando porque a van parou distante da Pousada, mas na verdade o motorista avisou, mas como elas estavam conversando não prestaram atenção quando descemos.

 POUSADA PORTAS DA AMAZÔNIA

Centro Histórico
Diária 2 pax = R$179,00 (c/ café manhã)

http://www.portasdaamazonia.com.br

Ficamos encantadas com o interior do casarão colonial, a preservação dos espaços, bom gosto na decoração sem agredir o meio ambiente usando materiais rústicos como o vime, bambu, palha tudo interagindo com a preservação de cada cômodo. O café da manhã é servido em um salão em que as paredes deixam à mostra a origem da construção. Como o Centro Histórico não é seguro, a própria Pousada oferece um anexo com pizzas, petiscos e bebidas. Serviços de city tour e táxis.

Os quartos que dão vistas para o jardim interno são mais silenciosos, mas se tiver necessidade de luminosidade natural prefira os quartos da frente que possuem janelas e são mais iluminados.
A Pousada está instalada em um ponto estratégico do Centro Histórico, casarão colonial decorado com muito bom gosto, mantendo áreas tradicionais sem abrir mão do conforto. Um ótimo local para se hospedar para quem quer visitar os principais pontos históricos e casarões azulejados. Não é seguro a noite. Ficamos em um quarto interno, n.21, banheiro privativo, banho quente, TV, spliter, bons colchões e travesseiros, roupa de cama limpa, quarto silencioso.
Descemos até o restaurante, mas resolvemos não jantar, tomamos apenas um suco de bacuri.
 
(domingo)
O café da manhã começa a ser servido às 7h., depois dele fomos dar uma volta pelo centro histórico, a maioria das lojas estavam fechadas por ser domingo, mas na Casa das Tulhas achamos muita coisa funcionando e aproveitamos para comprar nossos souvenirs. Também visitamos alguns pontos de vendas que estavam abertos.

Casa das Tulhas
Rua da Estrela, s/nº. 
Centro Histórico

 Retornamos ao hotel para deixar as comprar e fomos para o terminal de ônibus, queríamos ir para a praia do Calhau, fomos informadas que o ônibus parte da plataforma D2, estava lotada, fila imensa, percebemos que não haveria chance de conseguirmos tomar um ônibus sem esperar pelo menos 1h., até porque no domingo o bilhete é mais barato (R$1,05), e a população local se dirige em massa para as praias. Voltamos e tomamos um táxi (R$20,00), para a praia do Calhau – Farol seguimos pela Avenida Litorânea até o Restaurante Cabana do Sol.

Restaurante Cabana do Sol

Avenida São Marcos –24 – Farol de São Marcos – (98)3235.2586 / cep.65077.630

Calhau – Avenida Litorânea, 10 – (98)3227.7761 / cep.65076-380

Ambiente refrigerado, boa comida, atendimento rápido e honesto, quando pedimos o filé de carne e sol, o próprio garçom nos orientou a pedir apenas 1/2 porção que seria suficiente para duas pessoas, e realmente foi. Entrada cortesia: pastel (6) com geleia de pimenta. Filé de carne de sol ½ porção (R$74,15) – carne de sol, arroz, feijão com abóbora, baião de dois, farofa de farinha de mandioca pilada com carne de sol e rapadura, purê de mandioca, mandioca, banana à milanesa, manteiga de garrafa. Suco de abacaxi (R$12,80). Sobremesa creme de bacuri (R$16,00) – tx. serv.(R$10,29) – total R$113,24 para 2 pessoas.

Depois do almoço ainda de táxi (R$20,00), voltamos para a pousada, descansamos a tarde e depois de um banho fomos até a Lagoa da Jansen, no Centro de Eventos, por sorte este era o último dia dos festejos de Julho e assistimos uma boa programação. Primeiro uma orquestra de sopro com crianças carentes, depois vieram os cantadores de toadas e finalmente a apresentação do bumba meu boi, assistimos apenas o primeiro porque iria terminar muito tarde e estávamos preocupadas em não conseguir táxi para voltar ao Centro Histórico.

Antes de dormir deixamos nossas malas arrumadas para o dia seguinte.
 (segunda)
Acordamos cedo e depois do café da manhã ainda demos mais uma caminhada pelo centro histórico. Voltamos para a Pousada acertamos as diárias e pedimos um táxi para o aeroporto.
Saída de São Luis 13h.37 com chegada em Brasília às 15h.56 (2h.19 de voo), conexão de 1h.08. Reembarque às 17h.04 e chegada em Campinas às 18h.42.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s