Linhas de Nazca

Atualizado em 2020

 Eram dos deuses astronautas?

Scan.bmp

Cidade – Nazca.
Distância – 450km. de Lima, 120km. de Ica, 650km. de Cusco.
População – 30 mil habitantes.
Quando ir – qualquer período, a região é desértica, não chove.
Quanto tempo ficar – 1 dia é suficiente para fazer o sobrevoo.
A Civilização de Nazca viveu no Peru em uma época antes do surgimento e crescimento dos Incas, provavelmente entre 300 a.C. e 800 d.C.

Como chegar a Nazca partindo do Brasil
Não há voos direto, é preciso ir até Lima, no aeroporto em Lima tome outro voo até Pisco (Aeroporto Capitão Renán Elias Oliveira (PIO), você vai estar a 320km. de Nazca a próxima etapa deverá ser de ônibus ou carro.

Como chegar partindo de Lima – ônibus
Empreso Cruz del Sur, a viagem dura cerca de 7h., em ônibus leito e serviço de bordo com jantar. Os bilhetes podem ser comprados via on line.

Como chegar partindo de Cusco – ônibus
Ônibus – Agências e tempo de viagem: Cruz del Sur (10h.25), Movil Tour (11h.), Grupo Palomino (8h.50), Tepsa (14h.), Oltursa (14h.20). Os preços variam de U$15 a U$45 em semi leito ou leito e dependendo do serviço de bordo, geralmente inclui jantar. Todos eles saem a tarde de Cusco.
Chegando a Nazca você pode tomar um táxi até o aero parque, que fica muito perto do centro da cidade e lá, escolha a empresa aérea .
Top-016
Como é o voo
Resumindo: Emocionante! 
Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO em 1994
Scan-001.bmpPrepare-se para muita emoção. O voo dura aproximadamente 30 minutos e o piloto mostra 13 desenhos, os principais são: macaco, aranha, peixe, tubarão, lhama, condor, lagarto e astronauta, este sem dúvida o mais intrigante. O sobrevoo se inclina para a direita e esquerda para que todos os passageiros possam visualizar as figuras. Os preços variam entre U$$60 e U$$80. A frota foi trocada a pouco tempo por aviões mais modernos. São pequenos aviões que levam em geral 4 passageiros e 2 pilotos, são muitos aviões, não se preocupe, não vai faltar. Se estiver inseguro quanto ao voo, há uma torre de observação.
Dica – as fotos não vão sair boas, curta o passeio e compre alguns postais.

Vai para o Peru? Não conhece as LINHAS DE NAZCA?
O que está esperando? Programe-se!!!!!!

Linhas de Nazca

05-001Os desenhos gigantescos não têm uma data exata, foram feitos provavelmente entre 500 a.C. e 500 d.C. pela Cultura de Paracas que viveram naquela época. As Linhas de Nazca continuam sendo um dos muitos mistérios do mundo antigo, com explicações sugeridas que vão desde o calendário astronômico, caminhos sagrados, até as marcas de OVNI’s feitas por extraterrestres.
etezinho-001O fato é que tendo sido feito por extraterrestres ou não, nada explica até agora, o fato de certas imagens de centenas de metros terem sido feitas de modo que só pudessem ser vistas ou identificadas do alto. Em um plano de 37km.  linhas são identificadas por alguns como pista de pouso de OVINI’s, intermediadas por formas geométricas.

Maria Reiche, uma famosa matemática alemã, falecida em 1998 com 95 anos de idade, residiu longo tempo em Nazca e estudou as linhas por 50 anos, tornando-se a pesquisadora que mais estudou tais Linhas e chegou à conclusão de que se tratava de um calendário astronômico. Terminou seus dias cega de tanto observar as linhas sob o inclemente sol do deserto.
05-002

Tem mais coisas em Nazca? Sim!!!!!
Cemitério Chauchilla, Cahuachi (Vaticano Pré-Hispânico), Aqueduto de Cantalloc, Museu Didático Antonini.

Cemitério Chauchilla

Distância de Nazca – 30km.
05-003

São 13 túmulos do período pré incaico (1.000d.C. a 1.200d.C.), foram construídos com blocos de adobe e as múmias podem ser observadas ao ar livre com pedaços de roupagem, cerâmicas e cabelos em longas tranças que eram cortados por ocasião do sepultamento. O processo de mumificação era simples: os tendões eram cortados para que os membros pudessem ser manipulados.
Top-020Os órgãos internos eram retirados e a pele desidratada com sal. O corpo era envolto com tecido de algodão e mantido em posição fetal junto com algumas joias e utensílios pessoais. Entre as covas há caminhos com pequenas pedras, mas não é difícil observar alguns ossos espalhados pelo chão. No local existe um pequeno museu com a mais bem conservada múmia encontrada no local e algumas fotos do período da descoberta do cemitério.

Cahuachi

1200px-Cahuachi_14-001Distância de Nazca – 28km.
Cahuachi era um centro cerimonial da cultura nazca que teve o auge entre o ano 1 a 500 DC. O nome Cahuachi significa “onde vivem os videntes”. No complexo eram realizados vários rituais inclusive de sacrifícios humanos.

Diário de bordo – Cusco x Nazca

Com antecedência compramos bilhetes pela Cruz del Sur, opção semi leito, para 18h.30.
Na Plaza de Armas pegamos um táxi e fomos para o terminal de ônibus, chegamos às 16hs., Fomos para a rampa de embarque com meia hora de antecedência, foi uma correria o ônibus já estava saindo em horário adiantado.
Viagem de Cuzco até Nazca seria de 13h., o ônibus parou ainda em dois ou três locais dentro de Cuzco para apanhar passageiros. Todos acomodados, a rodo moça anunciou que serviria o jantar, mas passageiros que sofressem de enjoo deveriam evitar esta refeição. Foi servido arroz, picadinho de carne, batata e refrigerante. Logo descobrimos o porquê do aviso, o ônibus executa malabarismos incríveis em estrada estreita sobre precipícios, ainda bem que começou a escurecer, assim não vimos
os perigos do trajeto! A noite foi longa e estressante, a cada curva nos deslocávamos e tínhamos que apoiar os pés firmes no chão para não cair da cadeira. Na viagem anterior havíamos passado muito frio, agora nos enchemos de roupa, o ônibus tinha calefação e logo começamos tirar o que foi possível. A rodo moça ligou a TV, como estávamos na primeira fileira, o som era muito alto não dava para  dormir, terminado um documentário sobre o Peru foi colocado um filme, o alívio com o final do filme foi passageiro, foi colocado mais um, de ação e violência, isto tudo com aquele ônibus que rodava nas curvas feito um pião. Durante toda a viagem foram poucas e rápidas paradas, na primeira desci, mas na segunda não sabia onde estava um pé da minha bota, só fui achá-la embaixo do banco vizinho quando o dia começou a clarear. Segundo a Paula a paisagem estava mudada e desértica com algumas lhamas, não conseguia abrir os olhos, estava com muito enjoo. 

NAZCA
Desembarcamos em meio a uma multidão de taxistas querendo nos levar para o aeroporto Maria Reiche, indicamos a Aero Condor, mas no caminho o motorista nos tentou persuadir oferecendo outra companhia. Quando chegamos na entrada da Aero Condor, já havia uma agente esperando, disse que os escritórios ficavam do outro lado da rua, e praticamente nos “arrastou” até lá, percebemos logo de cara que havia uma combinação entre ela e o taxista, mas assim mesmo fomos até lá. Como a negociação estava indo dentro do previsto, e o avião Cessna nos “pareceu” um dos melhores, acabamos fechando por U$85,00 cada voo de 35 minutos, por medida de segurança fomos em voos separadas. Jamais me arrependeria desta aventura, fotos não podem retratar o que é visto das janelas destes pequenos aviões, voam baixo e fazem inclinações ora para a direita, ora para a esquerda, para que os passageiros possam observar melhor aquelas figuras que com certeza não foram feitas por seres deste planeta. Desci tão maravilhada quanto a Paula, ficamos horas e dias comentando sobre aquilo e não chegando à conclusão alguma.
Atravessamos a rua e fomos procurar um lugar para o desayuno estávamos sem comer desde o dia anterior. Voltamos para o hangar e conversamos com a Agente de Viagem que nos conseguiu um taxista para nos levar para um tour S/70(U$20,00),  mais os ingressos ao sítio arqueológico S$8,00 (U$2,50 ), e Fábrica de Cerâmica S$5,00 (U$1,50). O taxista era um verdadeiro guia, rodamos pelo asfalto, depois entramos em uma estrada de terra, paisagem seca, desértica e poeirenta.
Top-22
Visitamos o Cemitério Chauchilla, depois fomos ao atelier “Taller de Cerâmica Toto’s”, especializados em cópias e restaurações de cerâmica Nazca, fazem isso há anos, técnica passada de pais para filhos, na restauração de peças, pintadas com argila colorida.
Em seguida fomos para um outro ateliê especializado em cunhar pequenas peças de ouro, o artesão nos pareceu comercial demais, foi logo pedindo uma “propina”, fizemos de conta que não entendemos. Esta era a última visita, pedimos ao motorista que nos levasse até o terminal de ônibus, mas no caminho ele nos sugeriu que alguns carros que faziam lotações para Ica, como eu já havia lido algo a respeito, achei ótima ideia. Ele nos levou até a saída da cidade, já havia um carro aguardando passageiros, era um imenso Dodge, muito antigo, o motorista era um senhor de aproximadamente 70 anos, acomodou nossa bagagem, Paula e eu sentadas na frente, atrás mais 4 passageiros. Ligou o rádio, com uma seleção de rumba e mambo e lá fomos nós. Estrada asfaltada, mas sem acostamento, o motorista mantendo a velocidade sempre acima da permitida. A estrada a princípio interessante, com o tempo ficou monótona, só areia e algumas dunas. No trajeto um guarda fez sinal para o nosso motorista parar (só podia ser pela velocidade), ele deu de ombros, sorriu e continuou. Depois de algum tempo na monótona paisagem, o motorista começou a bocejar, falei para a Paula, mas ela respondeu: – Pode deixar, estou esperta! Duas horas depois chegamos a Ica.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s